domingo, 17 de maio de 2009

Em cada esquina cai um pouco a tua vida.

Fiquei um pouco instrumental — e lacônico — esses dias. Só, ao ouvir por acaso Cartola e sua "O mundo é um moinho", retornei para alguma forma de expressão propriamente escrita. O blog Cibereza, de Kadydja Albuquerque, comenta sobre a música em postagem de hoje. Ela consegue condensar muito bem o lirismo explosivo da letra e dar um panorama breve da criação. Aliás, lindo o vídeo.






Preste atenção, querida
De cada amor tu herdarás só o cinismo
Quando notares estás à beira do abismo
Abismo que cavaste com os teus pés.
(Em "O mundo é um moinho".)

4 comentários:

Filippe. disse...

"Sem saber mesmo o rumo que iras tomar"

Sâmya disse...

eu sempre me arrepio com essa música. por mais que eu a repita.
linda, linda. =D

pena que nao é de sua autoria, né, babiê? hauhauah

Jason Waider disse...

Você é defensor da ironia... legal!
E defende a vida em todas a suas nuances também? Pois existe algo mais irônico que a vida?
Falo sobre isso depois... Acho que viver nesse mundo louco e pensar nisso apenas revela parte da insanidade que quer extrapolar os limites da razão que controla o que chamo de normal... Que irônia, não?

darsh. disse...

o que vc acha hipócrita?

é bom dizer, para a pessoa ter direito de resposta.